Assassinatos no México atingem recorde no primeiro semestre de 2019

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Os assassinatos no México saltaram para um nível recorde no primeiro semestre deste ano, segundo dados oficiais, ressaltando os grandes desafios que o presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, enfrenta para reduzir a violência em um país assolado por cartéis.

Houve 14.603 assassinatos de janeiro a junho, ante 13.985 homicídios registrados nos primeiros seis meses de 2018, segundo dados publicados no fim de semana no site do gabinete de segurança pública nacional do México.

O México caminha para superar os 29.111 assassinatos registrados no ano passado, maior nível da história.

Há anos o México luta contra a violência ao passo que sucessivos governos enfrentaram violentos cartéis de droga, frequentemente matando ou prendendo seus líderes. Isso resultou na fragmentação de gangues e em combates internos cada vez mais cruéis.

A complexidade do enfrentamento de grupos criminosos é um grande teste para o ainda novo governo de López Obrador, que se comprometeu a tentar uma abordagem diferente daquela de seu antecessor.