Possível sucessor de May terá de explicar frase sobre Brexit

Boris Johnson foi intimado a comparecer a um tribunal

Candidato à sucessão da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, o ex-prefeito de Londres e ex-secretário de Relações Exteriores Boris Johnson foi convocado a prestar esclarecimentos em um tribunal sobre supostas mentiras contadas durante a campanha do plebiscito do Brexit, em 2016.

Segundo a denúncia, apresentada pelos advogados do empresário Marcus Ball, Johnson mentiu ao dizer que o Reino Unido enviava 350 milhões de libras esterlinas por semana à União Europeia. Esse valor seria equivalente a 18,2 bilhões de libras por ano, praticamente o dobro da contribuição britânica para o orçamento do bloco.

O juiz da Corte de Magistrados de Westminster disse que as alegações contra Johnson ainda não foram comprovadas, mas afirmou que é apropriado intimá-lo a depor. O ex-prefeito de Londres é um dos favoritos a suceder May na liderança do Partido Conservador e, por consequência, no cargo de primeiro-ministro.

Johnson já prometeu tirar o Reino Unido da União Europeia, mesmo sem acordo, caso assuma o poder no país