Conselho de Segurança pede que forças de Haftar detenham avanço na Líbia

O Conselho de Segurança da ONU pediu nesta sexta-feira que as forças líbias comandadas por Khalifa Haftar detenham seu avanço em direção a Trípoli, alertando que o movimento militar está ameaçando a estabilidade da Líbia.

Haftar, o marechal do autoproclamado Exército Nacional Líbio (ENL), lançou uma ofensiva nesta quinta-feira para tomar a capital, nas mãos de um governo de unidade apoiado pela ONU e por uma série de milícias.

O Conselho pede "às forças do ENL que detenham todos os movimentos militares", disse aos jornalistas o embaixador alemão Christoph Heusgen, que ocupa a presidência rotativa do organismo das Nações Unidas.

"Os membros do Conselho de Segurança expressaram sua profunda preocupação com a atividade militar na região de Trípoli, o que coloca em risco a estabilidade e as perspectivas de mediação da ONU e uma solução política integral para a crise".

O apelo a Haftar foi aprovado por unanimidade, incluindo a Rússia, que apoia o marechal.

Nesta sexta-feira ocorreram combates ao sul de Trípoli entre forças pró-governo e tropas do ENL, o que gerou temores sobre um iminente ataque à cidade.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, que encontrou Haftar em Benghazi nesta sexta-feira, disse que espera evitar um "confronto sangrento".

"Deixo a Líbia com uma profunda inquietação e o coração pesado", declarou Guterres no aeroporto de Benhazi, pouco após seu encontro com Haftar, "sempre com a expectativa de que seja possível evitar um confronto sangrento em Trípoli e seus entornos".

Guterres foi à Líbia para promover um acordo político sobre a realização de eleições e segundo o enviado da ONU Ghassan Salame, o marechal deixou claro a Guterres que não pretende deter seu avanço em direção à capital líbia.

Haftar anunciou na quarta-feira o envio de suas tropas à Trípoli para "limpar" a região de "terroristas e mercenários".

O marechal cumpriu sua palavra e avançou em direção à capital, mas forças ligadas ao GNA detiveram a primeira onda.

Nesta sexta-feira, as forças do ENL capturaram o aeroporto de Trípoli, a cerca de 30 km ao sul da capital, e não utilizado desde que foi destruído em 2014 por combates.

O ENL conseguiu tomar o aeroporto por um breve período, antes de ser expulso por forças leais, disse o ministro do Interior da GNA, Fathi Bachagha, à emissora líbia al-Ahrar.

"A luta está ocorrendo atualmente na região de Gasr Ben Ghechir", ao sul do aeroporto.

O porta-voz do ENL, Ahmad al-Mesmari, disse que "um importante passo adiante" foi dado na sexta-feira, enquanto reconheceu o revés sofrido pela manhã com a perda do posto de segurança a oeste de Trípoli, onde, segundo ele, 128 combatentes da ENL foram feitos prisioneiros.

A Líbia está mergulhada no caos desde a queda de Muammar Kadhafi, em 2011, dividida entre as autoridades com sede em Trípoli e os partidários de Haftar, que lutam pelo controle do país rico em petróleo.

 

cml/ec/mps/lb/cc