Presidente mexicano adverte Trump que "não convém a ninguém" fechar fronteira

O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, alertou nesta quarta-feira que não é conveniente fechar a fronteira entre o México e os Estados Unidos, depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, relançou uma nova ameaça para fechar as fronteiras.

"Não é adequado para ninguém fechar a fronteira, não é a melhor coisa a fazer", disse López Obrador em sua conferência matinal.

Macaque in the trees
Presidente do México Andres Manuel Lopez Obrador (Foto: Guillermo Arias | AFP)

Nesta quarta, pelo Twitter, Trump pediu ao Congresso de seu país na quarta-feira que "se reúna imediatamente" para eliminar as "lacunas" na fronteira e repetiu que os Estados Unidos estão passando por "uma emergência nacional" devido à imigração ilegal.

No entanto, López Obrador disse que "há uma comunicação muito boa" com os Estados Unidos.

Na terça-feira, Trump baixou temporariamente o tom de suas ameaças dizendo à imprensa que o México "começou a prender muitas pessoas em sua fronteira sul".

López Obrador disse que seu governo "está agindo com grande prudência e sim está buscando respeitar a lei" migratória.

"Estou satisfeito que o governo dos Estados Unidos reconheça que estamos ajudando", elogiou.

Mas no Senado mexicano - onde o partido de López Obrador, Morena, tem a maioria - as advertências de Trump provocaram uma rejeição uníssono.

Os senadores "repudiaram as expressões" de Trump, que no passado "incitou atitudes xenófobas e deu lugar a crimes de ódio contra a comunidade hispânica nos Estados Unidos", enfatizaram os legisladores em uma carta enviada a Chuck Schumer, líder da minoria democrata no Senado americano.

Sobre o ritmo lento de pessoas e bens que entram na fronteira com os Estados Unidos, derivado da transferência de centenas de funcionários da fronteira para processar a chegada de migrantes, López Obrador disse que "não há problemas sérios".

 

jg/jhb/cc