Premiê diz que Irlanda não será 'porta dos fundos' à UE para britânicos

O primeiro-ministro da Irlanda, Leo Varadkar, declarou nesta terça-feira (2) que seu país não vai se transformar na 'porta dos fundos' para o Reino Unido acessar o mercado europeu em caso de uma saída da União Europeia sem um acordo firmado entre as partes.

Durante visita a Paris, Varadkar também reiterou sua oposição ao regresso de uma fronteira entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda, além de afirmar que "a carne bovina tratada com hormônios" procedente de outros países através do Reino Unido, não entrará na Irlanda e nem no resto da UE em caso de saída sem acordo.

"Não queremos que a Irlanda se torne a porta dos fundos do mercado europeu", disse o premier à imprensa após um encontro com o presidente francês, Emmanuel Macron.

O chefe de governo irlandês destacou que estava decidido a evitar a entrada de produtos que não estiverem dentro das normas europeias na Irlanda e outros países do bloco econômico.

"No improvável caso de não surgir um acordo, que o Reino Unido sele acordos com Estados Unidos ou China e que se tenha frangos com cloro ou carne bovina tratada com hormônios, ou produtos que são o resultado de trabalho infantil nos países asiáticos, a última coisa que queremos é que esses produtos ingressem na República da Irlanda", disse.

"E certamente não queremos que entrem na União Europeia através da República de Irlanda", acrescentou.

cb/cf/jg/eg/pb/mb/lca/mvv