Arábia Saudita indeniza filhos de Khashoggi, diz jornal

Jornalista foi morto dentro do consulado saudita em Istambul

Os quatro filhos do jornalista dissidente Jamal Khashoggi receberam casas avaliadas em milhões de dólares e pensões mensais milionárias na Arábia Saudita como indenização pela morte de seu pai, assassinado no dia 2 de outubro de 2018 dentro do consulado saudita em Istambul, informou nesta terça-feira (2) o jornal "Washington Post", citando fontes ligadas à família.

Como parte do acordo preliminar, os filhos de Khashoggi receberam, cada um, casas em Yedá, no oeste da Arábia Saudita, no valor de até US$ 4 milhões cada. Todas as residências fazem parte do mesmo complexo. Ainda segundo o jornal, cada um dos herdeiros da vítima recebe mais de US$10 mil mensais do governo saudita.

Além disso, o WP informa que os dois meninos e duas meninas ainda podem receber grandes quantias de dinheiro depois de uma negociação prevista para ocorrer após o julgamento dos supostos criminosos. De acordo com a publicação, o pagamento "faz parte de uma tentativa da Arábia Saudita de firmar um acordo a longo prazo com os membros da família de Khashoggi para fornecer apoio financeiro a vítimas de crimes violentos" Khashoggi foi morto no dia 2 de outubro do ano passado e teve seu corpo desmembrado por ordens do alto escalão saudita. De acordo com a inteligência dos Estados Unidos, o principal mandante do crime é o príncipe herdeiro saudita, Mohammed Bin Salman.

No entanto, Riad negou o envolvimento do monarca, mas argumentou que o crime aconteceu de "uma operação fora de controle". Ao todo, 15 agentes sauditas são acusados de assassinar o ex-colunista do Washington Post. O julgamento de 11 suspeitos teve início neste ano.