Prefeita de Turim recebe suposta carta-bomba

Chiara Appendino governa a capital do Piemonte desde 2016

Um pacote contendo uma suposta bomba endereçado para a prefeita de Turim, Chiara Appendino, do partido antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), foi interceptado nesta segunda-feira (1º) pelas autoridades italianas. A suspeita provocou a intervenção do esquadrão antibombas no Palazzo Cívico, sede da prefeitura da cidade. A reunião do conselho municipal, que estava ocorrendo no momento, foi encerrada e adiada para a próxima semana.

De acordo com a polícia local, o envelope continha um sistema de disparo rudimentar, uma bateria e pólvora. O remetente identificado no envelope é a "Escola A. Diaz. Via C. Battisti 6, 16145 Gênova".


Para os investigadores italianos, o dispositivo destinado à prefeita da cidade é similar a outras bombas anarquistas enviadas nos últimos anos. O caso tem sido acompanhado há algum tempo, inclusive, no início de fevereiro, uma operação realizou a evacuação do centro social anarquista de Turim.


O pacote foi enviado de fora de Turim, provavelmente antes da manifestação no último sábado (30), na qual os anarquistas protestaram contra o despejo.


Esta não é a primeira vez que Appendino, que governa a capital do Piemonte desde junho de 2016, é alvo de ameaças. Em novembro do ano passado, a prefeita do M5S recebeu uma carta com ameaças de morte e com acusações de ter "assassinado" a cidade.