Manifestantes vão às ruas em Washington pedir 'mudança de regime' no Irã

Centenas de pessoas foram às ruas em Washington, na sexta-feira (8), pedir "mudança de regime" no Irã e denunciar "a atrocidade para com o povo" cometida por Teerã.

Em meio a um mar de bandeiras iranianas, os manifestantes entoavam palavras de ordem como "mudança de regime já", com algumas pessoas levando retratos de Maryam Rajavi, líder do Mujahedin do Povo (Mujahedin-e-Khalq), um grupo de oposição iraniano banido do país.

"O regime dentro do Irã está cometendo uma enormidade de atrocidades contra o povo. O Irã em seu conjunto está sendo destruído por esse regime", afirmou Michael Passi, um engenheiro americano de origem iraniana.

"Há muitas execuções, tortura e exportação de terrorismo por esse regime", acrescentou.

"Queremos separação da religião e do Estado", acrescentou Mina Entezari, uma designer do Arizona que foi prisioneira política por sete anos no Irã. "Queremos liberdade para o povo", insistiu.

O governo Donald Trump critica, com frequência, o que chama de falta de liberdades no Irã e sua "desestabilizadora" influência no Oriente Médio.

Um ferrenho adversário da República Islâmica, Trump voltou a impor sanções econômicas ao país. Até o momento, porém, Washington nega defender uma mudança de regime, preconizando uma mudança na política iraniana em áreas que incluem o desenvolvimento de mísseis e o apoio a grupos militantes.

"Concordo 100% com a política do presidente Trump", afirmou Passi. "A única linguagem que esse regime iraniano entende é a linguagem da força", completou.

 

vid-cyj/la/ska/ia/tt