Ultraordotodoxos agridem mulheres que queriam rezar

Milhares de jovens judeus ultraortodoxos atacaram ontem um grupo de mulheres que defende a igualdade do direito a rezar no Muro das Lamentações em Jerusalém. A organização Mulheres do Muro milita há décadas pelo direito de usar, como os homens, o xale de oração e ler, coletivamente e em voz alta, a Torá diante do Muro das Lamentações, o local mais sagrado para a religião judaica. A polícia retirou as ativistas, que foram xingadas e cuspidas.