Jihadista francês é declarado culpado de massacre no Museu Judaico de Bruxelas

O jihadista francês Mehdi Nemmouche foi declarado, nesta quinta-feira (7), culpado pelo assassinato de quatro pessoas, um crime cometido em 24 de maio de 2014 no Museu Judaico de Bruxelas, anunciou a presidente da corte.

Nacer Bendrer, um francês que foi julgado por fornecer as armas ao assassino, foi considerado "co-autor" do massacre de caráter terrorista pelos 12 jurados que deliberaram desde terça-feira.

Nemmouche e Bendrer negam os crimes.

Macaque in the trees
Julgamento de ataques ao Museu Judaico em Bruxelas (Foto: John Thys / AFP)