Papa abrirá documentos secretos do século XX

VATICANO - O papa Francisco anunciou ontem que os arquivos secretos do Vaticano sobre o pontificado do papa Pio XII serão abertos em março de 2020. Pedido frequente de historiadores, o gesto pode trazer à tona ações da Igreja católica durante a Segunda Guerra Mundial, incluindo o silêncio sobre o Holocausto.

"Decidi que a abertura dos arquivos do Vaticano para o pontificado de Pio XII (1932-1958) será realizada em 2 de março de 2020. A Igreja não tem medo da História", declarou Francisco. O pontífice ainda lembrou que Pio XII esteve à frente da Igreja "em um dos momentos mais tristes e sombrios do século XX".

O acesso aos documentos são uma exigência de vários pesquisadores que buscam examinar por que Pio XII não se manifestou durante o extermínio de judeus. Algumas organizações judaicas consideram isso uma forma de cumplicidade. Em Jerusalém, o Memorial da Shoah de Yad Vashem saudou a decisão: "vai permitir estudo completo da atitude do Vaticano, e da Igreja como um todo, durante o Holocausto". O governo israelense também declarou estar satisfeito com a medida.

"Assumo esta tarefa certo de que a pesquisa histórica saberá avaliar, com as críticas apropriadas, os momentos de exaltação deste papa e os momentos de sérias dificuldades, decisões atormentadas, prudência humana e cristã", acrescentou Francisco.