Implementam sistema americano antimísseis para exercício em Israel

O sistema de defesa antimísseis americano Thaad foi implantado nesta segunda-feira (4) em Israel para exercícios militares conjuntos entre ambos os países, indicaram fontes dos Exércitos.

Anunciada pelos dois, a mobilização do sistema Thaad (Terminal High-Altitude Area Defense) "não está vinculada a nenhum acontecimento atual em particular", segundo o Exército israelense.

Esses dois aliados frequentemente participam de exercícios militares conjuntos, mas essa implementação é a primeira deste tipo em Israel.

Israel dispõe do próprio sistema de defesa antimísseis, mas este próximo exercício tem, em parte, como objetivo determinar como incorporar o Thaad e "estar preparado para enfrentar qualquer desafio futuro", disse a jornalistas o porta-voz do Exército israelense, Jonathan Conricus.

Tanto os oficiais militares americanos como os israelenses se recusaram a dar detalhes sobre a localização e duração prevista para esse novo exercício.

Este envolve mais de 200 militares americanos e inclui o uso de radares e lançadores de mísseis, assinalou Conricus.

Também permitirá que o Exército do país americano treine para implantar rapidamente o sistema Thaad em todo o mundo, destacaram os militares.

Este sistema é considerado "um dos mais avançado de seu tipo no mundo", segundo Conricus, acrescentando que é projetado para derrubar mísseis balísticos de médio alcance quando estão quase a ponto de chegar ao seu objetivo.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, congratulou-se por esse exercício, que "testemunha de maneira suplementar o compromisso dos Estados Unidos com a segurança israelense".

Em 2017, Washington vendeu à Arábia Saudita o sistema Thaad por um valor de 15 bilhões de dólares e também equipou com este o Catar e os Emirados Árabes Unidos. Além disso, o implantou na Coreia do Sul como um elemento de dissuasão na região.