Bernie Sanders convoca milhares de pessoas em seu primeiro comício

"Derrotar Donald Trump" e instaurar "um governo baseado na justiça econômica, social, racial e ambiental" foram os principais conceitos do discurso com o qual o democrata americano Bernie Sanders lançou, neste sábado (2), a sua campanha para as eleições de 2020, diante de milhares de pessoas reunidas no Brooklyn.

Depois de o presidente Trump chamar de "pesadelo socialista" as propostas dos pré-candidatos democratas, dos quais "Bernie" é o decano, o senador por Vermont detalhou as suas promessas para "transformar os Estados Unidos" e enfrentar os ricos, Wall Street, as grandes empresas e "todas as instituições incrivelmente poderosas que controlam a vida política" do país.

Entre essas promessas figuraram: uma cobertura de saúde para todos, um emprego garantido, um salário mínimo de 15 dólares por hora, um aumento das aposentadorias, a construção de moradias sociais, a luta contra a mudança climática, a gratuidade das universidades públicas e as grandes obras de infraestrutura.

O senador de 77 anos as foi enumerando diante das 3.000 pessoas reunidas no campus da universidade pública Brooklyn College.

Trump, "o presidente mais perigoso da história moderna dos Estados Unidos", pretende "nos dividir", disse. "Mas para nós é exatamente o contrário: vamos unir o nosso povo".

Sanders escolheu para o seu primeiro ato de campanha a cidade onde nasceu, em 1941, e a universidade na qual iniciou seus estudos de graduação.

Para esta nova batalha pela Casa Branca, que já conta com 13 pré-candidatos democratas, o postulante, que se define como "socialista democrático", optou por falar mais de si mesmo e de sua juventude do que durante as primárias democratas de 2016.

Na presença de sua esposa, Jane, e de seus dois filhos, evocou a sua infância em uma casa na qual "se sabia o que era viver com dois salários". Seu pai chegou aos Estados Unidos da Polônia fugindo do antissemitismo e sem um dólar.

Em seu discurso, insistiu nos contrastes entre o seu passado e o de Donald Trump.

Também mencionou a sua luta pela igualdade de direitos civis quando era estudante na Universidade de Chicago, onde pretende realizar um novo ato neste domingo (3).

"Sei de onde venho e jamais esquecerei", disse sob os aplausos do público.

Sanders disputará as primárias democratas com pré-candidatos mais jovens, entre os quais há mulheres e pessoas surgidas de minorias étnicas, que compartilham a sua aspiração de estabelecer um sistema de saúde universal, atingir os ricos no bolso e proteger o meio ambiente.