General Mourão e Ernesto Araújo se contradizem

BRASÍLIA - Ao comentarem sobre uma declaração do presidente Jair Bolsonaro sobre a Venezuela, o vice-presidente, general Hamilton Mourão, e o ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, seguiram por caminhos diferentes.

Na quinta-feira, questionado se encontraria Nicolás Maduro para um diálogo, Bolsonaro deu uma declaração vaga: "alguém tem que conversar né? Trump não foi conversar com Kim Jon-un?".

Mourão disse que não há nada de concreto na fala do presidente, mas considera que o Brasil deveria abrir diálogo com o presidente Nicolás Maduro. Enquanto Araújo avaliou, mais cedo, que o país não deve conversar: "Qualquer diálogo tem que ser entre eles (oposição e governo). Se outros países quiserem intermediar ou interferir nesse diálogo não nos parece que seja o caminho".