Caminhões na fronteira com Colômbia são queimados; ajuda brasileira segue detida

Os dois caminhões com ajuda humanitária que saíram do Brasil com destino à Venezuela continuam detidos na fronteira com o país, na região entre a cidade brasileira de Pacaraima (RR) e Santa Elena de Uairén, na Venezuela. O relato da reportagem contradiz o anúncio feito mais cedo pelo presidente autodeclarado, Juan Guaidó, de que os veículos tinham conseguido cruzar a fronteira.

Há pouco, surgiram novos relatos de que na fronteira venezuelana com a Colômbia, na ponte São Francisco de Paula Santander, venezuelanos correram para resgatar caixas de comida e remédios de caminhões em chamas. Fernando Flores, que estava no local e disse ser um parlamentar no Equador, afirmou que guardas nacionais venezuelanos incendiaram os caminhões quando estes entraram em território venezuelano, sob ordens do presidente do país, Nicolás Maduro.

Macaque in the trees
Manifestantes na Venezuela (Foto: Raul Arboleda / AFP)

Maduro prometeu bloquear todas as remessas de ajuda, consideradas por ele um "cavalo de Troia" com o objetivo de "pavimentar o caminho para uma intervenção militar estrangeira". Fonte: Associated Press.