Senado mexicano discutirá Guarda Nacional defendida por López Obrador

O Senado do México discutirá nesta quinta-feira a criação da Guarda Nacional, a força de segurança proposta pelo presidente Andrés Manuel López Obrador para enfrentar o crime no país e que gerou críticas da oposição e de especialistas.

A Guarda Nacional é um órgão com comando operacional, com dezenas de milhares de soldados e uma estrutura militar, que substituiria a polícia civil na luta contra os cartéis de drogas e o crime organizado.

"Isso vai nos ajudar muito, será decisivo para acalmar o país. (...) Com a criação da Guarda Nacional, dessa forma garantiremos paz e tranquilidade no país", afirmou López Obrador em um ato com militares na terça-feira.

A proposta foi aprovada em janeiro na Câmara dos Deputados, entre reivindicações da oposição e especialistas.

A discussão gira em torno de que dessa forma será dada um vínculo constitucional à militarização do país, o que efetivamente começou em 2006 e à qual são atribuídos parcialmente o ressurgimento da violência no país e violações contínuas dos direitos humanos.

Embora o partido de López Obrador, o Morena, tenha maioria no Congresso, dois terços dos votos dos senadores são necessários para aprovar a reforma constitucional que dará origem à Guarda Nacional, ou seja, uma maioria qualificada, o que obrigará o presidente a fechar acordos com os partidos da oposição.

yug/sem/yo/arc/cn