Missão técnica para a Venezuela

CARACAS - A União Europeia (UE) e o Uruguai enviarão na próxima semana uma missão técnica para a Venezuela com especialistas eleitorais e de ajuda humanitária, no âmbito do Grupo de Contato Internacional (GCI), anunciaram ontem fontes europeias.

Uma "missão técnica" da UE e do Uruguai, que copresidem o GCI, "viajará a Caracas na próxima semana e estará em contato com as partes interessadas e também com a sociedade civil", disse um alto funcionário europeu, sem informar possíveis datas.

Essa medida é uma das ações acordadas na primeira reunião do grupo de contato de países europeus e latino-americanos, celebrada em 7 de fevereiro em Montevidéu, para estimular a realização de uma eleição presidencial na Venezuela como uma saída pacífica para a crise.

O GCI se comprometeu a entrar em contato com "atores venezuelanos relevantes" e "sócios regionais e internacionais" para alcançar "as garantias necessárias para um processo eleitoral confiável, no menor tempo possível", e "permitir a entrega urgente" de ajuda humanitária, segundo o comunicado conjunto emitido ao final da reunião.

O anúncio chega em um momento no qual Juan Guaidó, autoproclamado presidente interino, fez da ajuda humanitária uma nova frente em sua disputa contra o presidente Nicolás Maduro.

Os 28 chanceleres europeus devem fazer um balanço na próxima segunda-feira sobre a primeira reunião do Grupo de Contato Internacional e sobre a situação no país. A segunda reunião de altos responsáveis do GCI é esperada para meados de março.

Sobre a ajuda humanitária, Maduro disse ontem que eram "migalhas" e "comida podre".