Cinquenta contra cinquenta

NOVA YORK - O chanceler da Venezuela, Jorge Arreaza, anunciou ontem na ONU a criação de um grupo internacional de defesa do direito internacional, formado por cerca de 50 países, com o objetivo de defender o governo de Nicolás Maduro ante a ameaça de intervenção militar no país.

O bloco de 50 países pretende fortalecer Maduro internacionalmente enquanto o autoproclamado presidente interino Juan Guaidó afirma ser reconhecido também por 50 países.

"Estamos começando um trabalho coletivo em todas as instancias e organismos da ONU. Vamos organizar uma estrategia não só para a defesa da Venezuela, mas para a defesa dos princípios das Nações Unidas", afirmou Arreaza. "Fazemos um chamado a todos os Estados-membros a se unirem pela coexistência pacífica", completou.

O embaixador da Rússia - um dos principais apoiadores de Maduro -, Vasily Nebenzya, expressou que "teme um derramamento de sangue" no país.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais