Casa Branca: Trump declarará 'emergência nacional' para financiar muro

A Casa Branca informou, nesta quinta-feira (14), que o presidente americano, Donald Trump, vai declarar estado de emergência nacional em uma tentativa de driblar o Congresso e conseguir financiamento para seu controverso projeto de construir um muro na fronteira com o México.

Trump também vai sancionar um projeto de lei que liberaria uma verba muito menor para o muro do que o presidente vinha pedindo.

Macaque in the trees
Donald Trump (Foto: MANDEL NGAN / AFP)

"O presidente Trump vai assinar a lei orçamentária do governo e, como afirmou anteriormente, também vai tomar outra ação executiva - inclusive de emergência nacional - para garantir que interrompamos a crise de segurança e humanitária na fronteira", disse a porta-voz Sarah Sanders.

O líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, tinha dito minutos antes aos seus colegas que falou com Trump por telefone e o presidente "indicou estar preparado para assinar a lei. Ele também vai emitir uma declaração de emergência nacional ao mesmo tempo".

Essa decisão é um passo inusual, mas liberaria Trump de tentar redirecionar recursos federais de outras áreas para conseguir financiar o muro.

Trump disse que vai assinar a lei de orçamento - esperada antes do prazo de meia-noite de sábado -, o que reduz a pressão em Washington, após ele ter expressado sua preocupação sobre o acordo alcançado no início da semana entre republicanos e democratas.

A medida inclui apenas US$ 1,375 bilhão para barreiras ou cercas nas fronteiras - bem menos que os US$ 5,7 bilhões que Trump exigiu para o seu muro.

As dúvidas de Trump colocavam o destino do projeto em questão. Mas, minutos depois de McConnell anunciar a intenção de Trump, o Senado correu para tramitá-la.

Os próximos passos são uma votação final no Senado e seu encaminhamento para a Câmara dos Representantes. Sua presidente, Nancy Pelosi, disse que sua Câmara votaria mais tarde nesta quinta-feira.

Pelosi, rival democrata de Trump, expressou desdém pela declaração de emergência do presidente, alertando que ele estava tentando "driblar o Congresso".

"Não é uma emergência o que está acontecendo na fronteira", disse ela.

Espera-se que a declaração de Trump seja contestada na Justiça.

O pacote orçamentário financia até 30 de setembro os 25% do governo cujas operações ficarão paralisadas se o projeto de lei não for assinado por Trump até o fim de sexta-feira.