Escalada de antissemitismo na Alemanha

BERLIM - Segundo a polícia alemã, os registros de atos e de violência ligados aos antissemitismo aumentaram substancialmente na Alemanha no último ano. Esse crescimento vêm preocupando autoridades do país que, assim como o resto da Europa, vem enfrentando um crescimento da extrema-direita.

A Alemanha, país que tem uma identidade nacional amplamente marcada pelo arrependimento pelo Holocausto, viu em 2018 um crescimento do ultranacionalismo. Em 2018, foram contabilizados um total de 1.646 atos antissemitas, 9,4% a mais do que em 2017. As ações violentas cresceram ainda mais: 60%, passando de 37 para 62, deixando 43 feridos.

O estudo foi pedido pelo partido de esquerda radical Die Linke à polícia alemã e foi divulgado um dia após a França apresentar estatísticas de que o antissemitismo cresceu cerca de 74% no país. O presidente do Conselho Central de Judeus na Alemanha, Josef Schuster, lamentou os índices: "os números ainda não são oficiais, mas menos refletem uma tendência - que é assustadora". Schuster cobrou "um compromisso mais forte e urgente contra o antissemitismo de políticos, da polícia e da justiça".

No mês passado, a chanceler alemã Angela Merkel falou em uma "tolerância zero" contra o fascismo: "as pessoas devem saber o que outros eram capazes no passado e nós devemos trabalhar para garantir que não se repitam".

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais