EUA pede a outros países que repatriem seus jihadistas detidos na Síria

Os Estados Unidos pediram nesta segunda-feira para os países que repatriem e processem no seu território os seus cidadãos que foram capturados na Síria por simpatizar com o grupo jihadista Estado Islâmico (EI), uma questão delicada para alguns aliados, como a França.

Depois que os Aliados debateram durante semanas o que fazer com extremistas detidos na Síria, os Estados Unidos se manifestaram claramente a favor do repatriamento na segunda-feira.

"Os Estados Unidos instam a outras nações a repatriar e realizar o processo de seus cidadãos" detidos pelas Forças Democráticas Sírias (FDS), uma aliança de combatentes árabes e curdos apoiada por Washington, disse em comunicado o porta-voz do Departamento de Estado, Robert Palladino, no momento em que os Estados Unidos tentam retirar suas tropas daquele país.

Washington acrescentou que as FDS, que desempenharam um papel importante na captura de membros do Estado Islâmico e advertiram que eles podem não ser capazes de proteger suficientemente suas cadeias quando os Estados Unidos saírem, mantiveram os islamitas retidos "de maneira segura e humana".