EUA celebra reconhecimento de Guaidó por potências da UE e pede apoio

O chefe da diplomacia dos Estados Unidos, Mike Pompeo, celebrou nesta segunda-feira (4) o reconhecimento do líder opositor Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela por parte das principais potências da União Europeia e sugeriu que outros países façam o mesmo.

"Estimulamos todos os países, inclusive outros Estados-membros da UE, a apoiar o povo venezuelano reconhecendo o presidente interino Guaidó e apoiando os esforços da Assembleia Nacional para o retorno da democracia constitucional à Venezuela", disse Pompeo em um comunicado.

Macaque in the trees
Mike Pompeo (Foto: Foto: Gage Skidmore/Reprodução da internet)

O Secretário de Estado também renovou o chamado de Washington para que os militares venezuelanos não reconheçam o presidente Nicolás Maduro.

"Reiteramos nosso chamado às forças militares e de segurança venezuelana para que respeitem a Constituição de seu país e protejam todos os cidadãos venezuelanos, incluindo o presidente interino Guaidó e sua família, assim como os cidadãos americanos e outros cidadãos estrangeiros na Venezuela", disse Pompeo.

Washington reconheceu Guaidó minutos depois de sua autoproclamação em 23 de janeiro, e nessa segunda-feira mais uma dezena de países europeus fizeram o mesmo após Maduro se negar a convocar a eleição presidencial apesar do ultimato europeu.

Guaidó, presidente da Assembleia Nacional (Parlamento), se autojuramentou invocando a Carta Magna após o legislativo declarar "ilegítimo" o segundo mandato de Maduro, iniciado em 10 de janeiro após uma eleição considerada fraudulenta.

 

sct-ad/lp/cr/cc