Encontrado avião que levava jogador Emiliano Sala, dizem autoridades

Os serviços de resgate encontraram o avião desaparecido há duas semanas no Canal da Mancha, no qual o jogador de futebol argentino Emiliano Sala e um piloto viajavam, informou a Agência britânica de Investigação de Acidentes Aéreos (AAIB) à AFP neste domingo (3).

"Posso confirmar que foi encontrado", disse uma porta-voz, em alusão ao avião monomotor que desapareceu dos radares em 21 de janeiro sobre o Canal da Mancha e cerca de vinte quilômetros ao norte de Guernsey.

Macaque in the trees
Emiliano Sala (Foto: JEAN-FRANCOIS MONIER / AFP)

A porta-voz não deu detalhes sobre onde e quando a aeronave foi localizada, indicando apenas que a AAIB irá divulgar um comunicado na manhã de segunda-feira.

"Os restos do avião foram encontrados no domingo pela manhã", indicou no Twitter David Mearns, da sociedade Blue Water Recoveries, que tinha sido contratada pela família do jogador para fazer buscas submarinas.

Horacio Sala, o pai de Emiliano, qualificou de um "sonho ruim" a notícia em declarações à emissora de TV argentina Crónica TV.

"Não posso acreditar, isto é um sonho, um sonho ruim", disse o pai do jogador, que está na Argentina, após saber da notícia, aparentemente pela televisão.

O pai de Sala assegurou não ter tido comunicação direta com o restante dos familiares enviados a Nantes (oeste da França).

"Eu me comunico todos os dias com eles (a família), mas como não tenho WhatsApp, demora para ligar para eles ou que eles liguem para mim. Diziam que os dias passavam e não havia notícias de Emiliano, nem do avião", comentou em voz baixa Sala na curta entrevista à TV.

O atacante argentino de 28 anos e o piloto David Ibbotson tinham saído de Nantes (oeste da França) rumo a Cardiff (em Gales), sede do clube que acabara de contratar Sala com uma quantia estimada pela imprensa em 17 milhões de euros.

O controle de tráfego aéreo da ilha de Jersey havia informado que no dia do desaparecimento, o avião voava primeiro a 5.000 pés (uns 1.700 metros de altitude) e que antes de desaparecer dos radares, havia pedido autorização para descer a 2.300 pés.

As buscas submarinas, em colaboração entre a Blue Water e a AAIB, começaram no domingo em uma área de 13 quilômetros quadrados ao norte da ilha de Guernesey, aproveitando as melhores condições meteorológicas.

Depois da descoberta dos destroços, o navio Geo Ocean III, da AAIB, foi para o local "para identificar visualmente o avião", explicou David Mearns no Twitter.

"Nossos pensamentos esta noite estão com as famílias e os amigos de Emiliano e David", disse Mearns. Em seguida, em declarações à emissora de televisão Sky News acrescentou que "uma parte importante do avião está no fundo marinho".

Em 26 de janeiro, dois dias depois da suspensão das operações oficiais de buscas, a família de Sala informou que continuaria as buscas graças aos fundos obtidos mediante uma coleta na Internet.

A família tinha recebido o apoio de vários jogadores, entre eles os argentinos Lionel Messi, Gonzalo Higuaín e Nicolas Otamendi.

Na quarta-feira, a AAIB havia informado que os restos de dois assentos, "provavelmente" pertencentes ao avião desaparecidos, tinham sido encontrados em uma praia da comuna francesa de Surtainville.