Irã adverte que pode aumentar alcance de mísseis se for pressionado

Um oficial da Guarda Revolucionária iraniana alertou a Europa contra pressões para o desarmamento da República Islâmica que, segundo ele, poderiam ser contraproducentes, um dia depois de o Irã realizar com sucesso o teste de um novo míssil de cruzeiro.

"Se os europeus, ou quem quer que seja, conspirarem para desarmar o Irã de seus mísseis, seremos obrigados a dar um salto estratégico", declarou o vice-comandante da instituição, o general Hossein Salami, à televisão estatal.

"(...) Não há obstáculos ou limitações técnicas para aumentarmos o alcance" dos mísseis iranianos, acrescentou ele.

O Irã desenvolve sua tecnologia de mísseis obedecendo a uma "estratégia defensiva", que se modifica de acordo com as necessidades, assegurou.

Coincidindo com o 40º aniversário da Revolução Islâmica, o Irã anunciou no sábado que testou com êxito um míssil de cruzeiro de alcance superior a 1.350 km.

De acordo com um relatório publicado em 2017 pelo Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS) de Londres, o Irã desenvolve uma dúzia de tipos de mísseis com um alcance de 200 a 2.000 km, que podem transportar cargas de 450 a 1.200 kg.

Esses programas preocupam os ocidentais, que acusam o Irã de desestabilizar o Oriente Médio, e ameaçar Israel, o inimigo declarado da República Islâmica.

amh/kas/par/me/es/mr