EUA consideram sanções extras contra Venezuela, diz secretário do Tesouro

O secretário americano do Tesouro, Steven Mnuchin, disse nesta terça-feira (29) que considera "sanções adicionais" para pressionar o governo da Venezuela, enquanto o Departamento de Estado informou que entregará ao líder opositor Juan Guaidó o controle das contas nos Estados Unidos.

"Sempre consideramos sanções adicionais para nos assegurarmos de que se protejam os ativos do país para o povo venezuelano", afirmou Mnuchin em entrevista à rede Fox, um dia depois de Washington anunciar sanções à estatal petroleira PDVSA, principal fonte de receita da Venezuela, para pressionar o governo de Nicolás Maduro.

Macaque in the trees
Venezuela (Foto: Luis Robayo | AFP)

A sanção chega no momento em que que o país e a PDVSA se encontram em default, e sua produção petroleira, no nível mais baixo das últimas três décadas, a 1,3 milhão de barris diários.

"Não há dúvida de que estamos tentando cortar os fundos do regime que não deveria estar no poder", afirmou Mnuchin.

O Departamento do Tesouro disse ter assinado, na semana passada, uma ordem para dar a Guaidó o controle das contas da Venezuela nos Estados Unidos.

"Esta certificação vai ajudar o governo legítimo da Venezuela a proteger esses ativos para o benefício do povo venezuelano", disse o porta-voz do Departamento de Estado, Robert Palladino, em um comunicado.