Duas crianças de Trinidade e Tobago repatriadas da Síria com ajuda do Pink Floyd

Duas crianças do Caribe, que foram levadas para Síria por seu pai, que se juntou ao grupo jihadista Estado Islâmico (EI), se reencontraram na segunda-feira (21) com a mãe e serão repatriadas com a ajuda de um dos fundadores do Pink Floyd, segundo o advogado da família.

As autoridades semi-autônomas curdas entregaram as duas crianças à mãe na cidade de Qamishli, no nordeste da Síria, informou um jornalista da AFP.

O advogado Clive Stafford-Smith, que falou de procedimentos complexos e caros para garantir a repatriação dos menores, afirmou que o britânico Roger Waters, membro fundador do lendário grupo de rock Pink Floyd, propôs ajudar a família.

Waters "aceitou pagar por tudo, se a mãe viesse de avião de Trinidade", em Trinidade e Tobago, no estado caribenho de onde são as crianças.

Segundo Stafford-Smith, Ayub Ferreria, de sete anos, e sei irmão Mahmud, 11, foram "sequestrados" em 2014 em Trinidade e Tobago por seu pai que decidiu levá-los à região de Raqa, antiga "capital" do EI no norte da Síria.

"Eles foram sequestrados em 20 de junho de 2014, um dia depois do terceiro aniversário de Ayub", disse à AFP Stafford-Smith.

"Sua pobre mãe não tinha ideia de onde eles estavam", acrescentou o advogado especializado em direitos humanos.

Um responsável das autoridades curdas, encarregado das Relações Exteriores, Fener Al Gayit, indicou que as crianças foram encontradas na região de Raqa há alguns meses e depois se mudaram para áreas sob o controle da SDS.

Ele informo que o pai, um soldado da EI, "se casou com outra mulher". "Ele foi morto e sua esposa fugiu".

dls/ah/tgg/bek/vl/bc/eg/ap