Talibãs anunciam que se reuniram com representantes dos EUA no Catar

Os talibãs anunciaram nesta segunda-feira (21) que se reuniram com representantes americanos no Catar, onde contam com um gabinete político, tendo em vista uma nova rodada de negociações para pôr fim à guerra no Afeganistão.

"Depois de que os americanos aceitaram uma agenda para pôr fim à invasão do Afeganistão e para impedir que o Afeganistão seja utilizado contra outros países no futuro, hoje foram mantidas conversas com representantes americanos em Doha, capital do Catar", afirmou o porta-voz talibã Zabiullah Mujahid em uma mensagem divulgada pelo WhatsApp.

"As discussões serão retomadas amanhã", terça-feira, acrescentou.

Até agora, os Estados Unidos não confirmaram este encontro. A última reunião confirmada entre as duas partes foi realizada em Abu Dhabi no fim de 2018.

O anúncio dos talibãs chega quando o enviado dos Estados Unidos para a paz no Afeganistão, Zalmay Khalilzad, concluiu neste fim de semana no Paquistão uma viagem regional que o levou a Índia, China e Afeganistão para tentar pôr fim a 17 anos de conflito.

"Estamos indo na direção certa com novos avanços futuros por parte do Paquistão e que trarão resultados", tuitou no domingo à noite, após sua visita a Islamabad.

Os talibãs tinham ameaçado suspender as conversas com os Estados Unidos, acusando-os de "sair do programa" estabelecido em Abu Dhabi e de "acrescentar unilateralmente novos temas".

Os Estados Unidos querem que os talibãs iniciem discussões com o governo afegão, mas eles sempre se negaram, com o argumento de que este último é "uma marionete" de Washington.

A viagem regional de Khalilzad começou pouco depois de que o presidente americano, Donald Trump, anunciou em dezembro sua intenção de retirar metade dos 14.000 soldados mobilizados no Afeganistão.

O primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan, chegou nesta segunda-feira a Doha para uma visita de dois dias, anunciaram seus serviços em Islamabad.