Jornal do Brasil

Internacional

Promotores dos EUA advertem que 'shutdown' está beneficiando criminosos

Jornal do Brasil

Promotores federais dos Estados Unidos advertiram nesta sexta-feira que investigações estão sendo interrompidas e criminosos, ficando livres devido à paralisação parcial do governo federal, que já dura quatro semanas.

Sem receber salário neste período mas ainda trabalhando, cerca de 6 mil promotores dos EUA advertiram que muitos serviços de apoio do qual dependem para agir, como testes de DNA, estão paralisados devido à falta de verba, o que tem impedido o andamento das investigações.

Macaque in the trees
Presidente dos EUA, Donald Trump. (Foto: Jim Watson / AFP)

"A capacidade do governo para garantir a justiça está sendo comprometida pela paralisação", denunciou a Associação Nacional de Promotores Federais Auxiliares (NAAUSA) em um comunicado.

"A falta de verba para viagens, por exemplo, está impedindo a realização de entrevistas por parte de agentes federais e promotores com vítimas e testemunhas de crimes", acrescenta a Associação.

Os promotores destacam que "em alguns casos os testes de DNA não são realizados de maneira oportuna, citações não estão sendo feitas e as investigações de crimes desaceleram, enquanto os criminosos permanecem em liberdade".

O chamado 'shutdown' é provocado pela queda de braço entre o presidente republicano, Donald Trump, e a oposição democrata em torno da aprovação do orçamento federal.

Trump se nega a firmar o orçamento sem uma verba de 5,7 bilhões de dólares para financiar um muro na fronteira entre Estados Unidos e México para deter a imigração ilegal.