EUA adota novas sanções contra agentes russos por ingerência nas eleições

O Tesouro dos Estados Unidos adotou nesta quarta-feira (19) sanções contra 15 membros da agência de Inteligência russa, GRU, pela suposta interferência nas eleições presidenciais de 2016, e por pirataria na Agência Mundial Antidoping.

As sanções também atingem dois agentes da GRU, que teriam participado da tentativa de homicídio de Sergei Skripal no Reino Unido, e dois indivíduos e três companhias vinculados com as fábricas de "trolls" russas, acusadas de tentar manipular a opinião pública americana.

Contudo, o Tesouro disse que acabará com as sanções contra o gigante de alumínio russo Rusal e duas companhias relacionadas, depois que o bilionário Oleg Deripaska, que estava na lista negra, agiu para cortar drasticamente a sua participação nessas firmas.

As sanções proíbem que americanos e empresas com filiais nos Estados Unidos - como muitos bancos - façam negócios com os sancionados.

Também congela os ativos nos Estados Unidos das pessoas ou companhias afetadas.

"Os Estados Unidos continuarão trabalhando com seus parceiros e aliados internacionais para atuar coletivamente a fim de evitar e se defender do contínuo e maligno agir da Rússia, de seus representantes e das agências de Inteligência", declarou o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin.

pmh/mdo/mps/lb/mvv/cb