EUA impõe sanções sobre ex-general israelense e dois cidadãos do Sudão do Sul

Os Estados Unidos impuseram sanções nesta sexta-feira a um general israelense reformado por supostamente fornecer armas e munição ao governo e à oposição no Sudão do Sul.

O Departamento do Tesouro também impôs sanções a um ex-empresário e magnata do Sudão do Sul por suas ações para agitar o conflito.

Israel Ziv, general reformado israelense e proprietário do grupo de consultoria de segurança Global CST, usou uma empresa agrícola "como cobertura para a venda de aproximadamente US$ 150 milhões em armas ao governo, incluindo fuzis, lança-granadas e foguetes portáteis", disse o Departamento do Tesouro em comunicado.

O Departamento do Tesouro destacou que as sanções também recaem sobre Gregory Vasili, cunhado do presidente do Sudão do Sul, por ter liderado, quando era governador do estado de Gogrial, em 2017, confrontos entre clãs que causaram a "morte de dezenas de civis e milhares de deslocados de suas casas".

Além disso, "Vasili esteve envolvido em várias atividades ilícitas, inclusive participando de um grande escândalo na compra de alimentos e na obtenção de contratos de gás do Exército do Sudão do Sul", diz o texto.

O terceiro indivíduo punido foi o magnata Obac William Olawo, acusado de estar "envolvido no comércio e envio de armas e armamentos ao Sudão do Sul", acrescentou o Tesouro.

 

cl/jm/mps/ll/cc