Jornal do Brasil

Internacional

Medidas anunciadas por Macron custarão 10 bilhões de euros

Presidente tenta conter a ira do movimento dos "gilet jaunes"

Jornal do Brasil

As medidas anunciadas na noite de ontem (10) pelo presidente francês, Emmanuel Macron, para conter os protestos do movimento "gilet jaunes" custarão de 8 a 10 bilhões de euros ao governo.

Apesar do Palácio do Eliseu não detalhar a cifra, a previsão foi confirmada pelo secretário de Estado das Contas Públicas da França, Olivier Dussopt.

Macron decidiu dar um aumento de 100 euros no salário mínimo a partir de 2019 - o salário mínimo atual bruto é 1.498,47 euros.

O presidente também decidiu isentar as horas extras de impostos e pediu para as empresas darem um abono aos funcionários no final do ano, igualmente sem taxação.

As novas medidas também preveem um bônus para funcionários públicos e isenção do aumento do imposto de seguridade social a aposentados que recebem menos de 2 mil euros por mês.

Macron adotou as medidas como forma de conter a ira de milhares de manifestantes que saíram às ruas por várias semanas, desde 17 e novembro, para protestar contra o aumento no preço do combustível e as políticas sociais e econômicas do governo.