Jornal do Brasil

Internacional

Cúpula dos países do Golfo em Riad começa marcada por crises

Jornal do Brasil

As seis petromonarquias árabes do Golfo realizam sua cúpula anual neste domingo (9), em Riad, em um contexto marcado por uma multiplicação de crises, como o divórcio diplomático com o Catar, a guerra no Iêmen, ou o caso Khashoggi.

O emir do Catar, xeque Tamin Ben Hamad al-Thani, não confirmou sua presença nesta edição do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG), apesar de ter sido oficialmente convidado.

Este pequeno e riquíssimo Estado continua sendo marginalizado por seus poderosos vizinhos, como Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos, que o acusam de apoiar grupos islamistas radicais e de estreitar seus vínculos com o Irã.

Bahrein, outro membro do CCG, e Egito também participam do embargo ao Catar.

Em junho de 2017, estes quatro estados árabes romperam seus laços diplomáticos, econômicos e sociais com o Catar. Recentemente, este último anunciou que abandonará em janeiro a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

O CCG também conta com Omã e Kuwait como membros. Nenhum dos dois participa do embargo ao Catar.

Surgido em 1981 para enfrentar o regime iraniano dos aiatolás, o CCG teve sua pertinência questionada nos últimos anos.

 

abh/mh/ras/all/eb/zm/tt