Jornal do Brasil

Internacional

ONGs suspendem operação de navio no Mediterrâneo

Aquarius está bloqueado há dois meses no porto de Marselha

Jornal do Brasil

As ONGs Médicos Sem Fronteiras (MSF) e SOS Méditerranée anunciaram nesta quinta-feira (6) o fim das operações do navio Aquarius, que resgatava refugiados e migrantes no Mediterrâneo, mas está bloqueado há dois meses em Marselha, na França.

Segundo as entidades, a embarcação não conseguiu obter bandeira de nenhum país para operar, após ter perdido seu registro no Panamá por pressões da Itália.

"Depois de dois meses no porto em Marselha sem obter uma bandeira, e enquanto homens, mulheres e crianças continuam morrendo no mar, MSF e SOS Méditerranée são obrigadas a encerrar as atividades do navio Aquarius", disse Médicos Sem Fronteiras, falando de uma escolha "dolorosa, mas obrigatória".

"Em um crescente clima de criminalização dos migrantes e de quem os ajuda, se perde de vista o princípio da própria humanidade", reforçou Claudia Lodesani, presidente da MSF na Itália, que prometeu buscar "novos modos de fornecer assistência humanitária" a migrantes e refugiados.

A suspensão dos serviços do Aquarius foi comemorada pelo ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, que fechou os portos do país para navios de ONGs que operam no Mediterrâneo. "Menos partidas, menos chegadas, menos mortes. Está ótimo assim", afirmou.

Desde o início de 2018, a Itália já registrou a chegada de 23.037 migrantes forçados e refugiados via Mediterrâneo, queda de 80,34% na comparação com o mesmo período de 2017.