Jornal do Brasil

Internacional

Promotor especial recomenda que Michael Flynn não seja preso

Mueller disse que ex-assessor de Trump cooperou com investigação

Jornal do Brasil

O promotor especial Robert Mueller recomendou que o ex-conselheiro de segurança da Casa Branca, Michael Flynn, não seja condenado à prisão, pois "colaborara" com as investigações sobre a suposta ligação entre a Rússia e a equipe de campanha presidencial de Donald Trump nas eleições de 2016.

Mueller divulgou um comunicado que comprova que Flynn concedera 19 depoimentos aos promotores, ajudando a investigação.

No ano passado, Flynn admitiu ter mentido para o FBI sobre os contatos entre a equipe de Trump e o embaixador russo nos EUA, Sergey Kislyak. Ele optou, então, por negociar um acordo de cooperação com as autoridades.

Mueller é o responsável, desde maio de 2017, pela investigação sobre a possível interferência da Rússia nas eleições americanas de 2016. Já Flynn foi assessor de Trump para a segurança nacional durante a campanha eleitoral. Depois da vitória do republicano, fora nomeado como membro do gabinete.