Senadores dos EUA não têm dúvidas da cumplicidade do príncipe saudita na morte de jornalista

Dois senadores republicanos dos Estados Unidos afirmaram nesta terça-feira (4) não ter nenhuma dúvida do envolvimento do príncipe-herdeiro saudita, Mohamed bin Salman, no assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, contradizendo a posição mais neutra, adotada pelo presidente Donald Trump.

"Não tenho nenhuma dúvida do fato de que o príncipe-herdeiro orquestrou o assassinato e foi mantido a par da situação a todo momento", disse o chefe da comissão de Relações Exteriores, Bob Corker, a jornalistas depois que a diretora da CIA, Gina Haspal, apresentar o caso a um grupo de senadores. "Penso que ele é cúmplice no assassinato de Khashoggi no mais alto nível possível", disse Lindsey Graham, aliado de Trump na Câmara Alta.

mlm-elc/elm/arc/mvv