Jornal do Brasil

Internacional

Taiwan vota em eleições que representam teste para a presidente

Jornal do Brasil

Milhões de taiwaneses votam neste sábado em eleições importantes sobre várias questões que provocam divisões, desde as relações com Pequim até os direitos dos homossexuais.

Os 19 milhões de eleitores escolhem seus representantes em diversas localidades, cidades, comarcas e grandes aglomerações. Os taiwaneses definirão os prefeitos de 22 cidades e comarcas, incluindo 13 que são governadas atualmente pelo Partido Progressista Democrático (DPP) da presidente Tsai Ing-wen.

A votação representa um teste de meio de mandato para Tsai, que enfrenta críticas pelas reformas internas e preocupação com os abalados vínculos com a China.

Também são organizados 10 referendos, entre eles uma tentativa de mudar o nome com o qual Taiwan participa nas competições internacionais, uma questão que irritou a China.

Durante a manhã de sábado longas filas foram registradas nos centros de votação.

"Acredito que esta é uma sociedade democrática e as pessoas podem expressar suas opiniões sobre várias questões", disse a presidente Tsai ao votar em Nova Taipé.

Entre os referendos, há consultas a favor e contra os direitos dos homossexuais. Os grupos "pró-família" pedem que o casamento seja definido legalmente como a união entre um homem e uma mulher.

Em Taiwan ainda não foi implementada uma histórica decisão judicial que legaliza o casamento gay. Os grupos LGTB estão preocupados com uma possível vitória dos conservadores no referendo, o que limitaria seus direitos recentemente adquiridos.

Kwan Chin-shun, uma estudante universitária de 18 anos que votou em Taipé, afirmou que votou para apoiar os direitos dos homossexuais.

"Não há nada errado em amar alguém do mesmo sexo", disse à AFP.

Tsai afirmou que as eleições locais são uma forma de "dizer ao mundo" que Taiwan não se dobrará a Pequim, que aumentou a pressão militar e diplomática desde sua chegada ao poder, em 2016.

Pequim considera que Taiwan é parte de seu território, que mais cedo ou mais tarde terá que reunificar-se à China continental, enquanto Taiwan se considera um Estado soberano, embora nunca tenha declarado sua independência.