Príncipe saudita faz primeira viagem ao exterior desde morte de Khashoggi

O príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohamed bin Salman, iniciou na quinta-feira (22) uma viagem ao exterior que inclui visitas a países árabes, sua primeira saída do país desde o escândalo causado pelo assassinato do jornalista Jamal Khashoggi.

A viagem se dá por "instruções" de seu pai, o rei Salman, reportou um comunicado da casa real, citado pela agência oficial Spa.

O comunicado não especifica quais países ele vai visitar mas a rede de televisão via satélite da Arábia Saudita, Al Arabiya, disse que os Emirados Árabes Unidos, principal aliado de Riade na guerra do Iêmen, serão a primeira escala da viagem.

O rei está "preocupado em fortalecer as relações do reino em níveis regional e internacional" e para continuar "a cooperação e os contatos com os países irmãos em todas as áreas", acrescentou o texto.

Na Turquia, o porta-voz da Presidência indicou nesta quinta-feira (22) que o presidente Recep Tayyip Erdogan e o príncipe-herdeiro saudita pode se reunir na semana que vem, à margem da cúpula do G20 na Argentina.

Este seria o primeiro encontro entre ambos desde o assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi, em 2 de outubro, no consulado de seu país em Istambul.

O assassinato manchou a imagem do reino, especialmente a de Mohamed bin Salman, acusado pela imprensa e autoridades turcas anônimas de ter ordenado a morte de Khashoggi.

Enquanto Erdogan nunca acusou abertamente o príncipe herdeiro, ele disse que a ordem para matar o jornalista veio dos "níveis mais altos" do Estado saudita, enquanto isentava o rei Salman da responsabilidade.

 

bur-mah/tp/feb/jz/pb/bc/ap/mvv