Chanceler saudita afirma que príncipe herdeiro está acima de qualquer suspeita

O príncipe herdeiro saudita Mohamed Bin Salman está acima de qualquer suspeita no assassinato do jornalista Jamal Khashoggi e as acusações neste sentido constituem uma "linha vermelha" para Riad, declarou nesta quarta-feira o chanceler Adel Al Jubeir.

Em entrevista à rede britânica BBC, o chefe da diplomacia saudita afirmou que não tolerará qualquer debate que manche a reputação do príncipe herdeiro ou do seu pai, o rei.

"Na Arábia Saudita, nosso governo é uma linha vermelha. O guardião das duas mesquitas sagradas e o príncipe herdeiro são uma linha vermelha", afirmou Jubeir.

"Eles representam cada cidadão saudita e cada cidadão saudita os representa. Não toleraremos qualquer debate que denigra nosso monarca ou nosso príncipe herdeiro".

Khashoggi foi morto e esquartejado no consulado saudita de Istambul no dia 2 de outubro. O jornalista, que morava nos Estados Unidos e escrevia para o jornal Washington Post, criticava com frequência o príncipe herdeiro.

Após diversas negativas, as autoridades sauditas finalmente admitiram sua responsabilidade no desaparecimento do jornalista e informaram a prisão de 21 envolvidos.

Mas segundo a CIA, a operação teve o aval do príncipe Mohamed Bin Salman.

Jubeir reafirmou que o príncipe herdeiro não teve qualquer envolvimento no crime. "Fomos muito claros: abrimos uma investigação, que prossegue, e castigaremos os responsáveis".

O chanceler considerou que o assassinato do jornalista foi uma "operação fora de controle" de agentes de inteligência.