Jornal do Brasil

Internacional

Sul-coreano é eleito novo presidente da Interpol

Candidato russo recebeu forte oposição dos EUA, Reino Unido e UE

Jornal do Brasil

O sul-coreano Kim Jong Yang, de 57 anos, foi eleito o novo presidente da Interpol, para um mandato de dois anos, após a prisão do chinês Meng Hongwei.

A eleição do sul-coreano, porém, foi marcada por um complô contra a candidatura do general russo Alexander Prokopchuk, um veterano dos serviços de inteligência de Moscou.

Os Estados Unidos, o Reino Unido e alguns países europeus se colocaram contra a eleição de Prokopchuk, alegando que uma vitória sua poderia acarretar em abusos contra adversários do governo russo. Em resposta, Moscou denunciou o que chamou de "ingerência" dos americanos na eleição da Interpol.

A votação ocorreu em Dubai, nos Emirados Árabes, e ocorreu após a prisão do então presidente da Interpol, o chinês Meng Hongwei.

Ele fora dado como desaparecido durante uma viagem de férias, em setembro, mas, depois, descobriu-se que ele havia sido detido pelas autoridades de Pequim sob suspeita de violar leis do país.

A Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) tem sede e Lyon, na França, e é responsável por procurar e prender criminosos de vários países, além de facilitar a cooperação entre polícias de 192 nações.