Jornal do Brasil

Internacional

Paraguai extradita ao Brasil traficante Marcelo Piloto

Para evitar extradição, traficante assassinou uma jovem sábado

Jornal do Brasil

O traficante Marcelo Pinheiro Veiga, conhecido como "Marcelo Piloto", foi expulso do Paraguai nesta segunda-feira (19) e já está no Brasil. Marcelo Piloto foi entregue na manhã de hoje à Polícia Federal de Foz do Iguaçu, no Paraná. Ele deve cumprir pena de mais de 26 anos, condenado por latrocínio e roubo.

O traficante responde ainda por outros crimes como homicídio, tráfico e associação para o tráfico. Marcelo Piloto é considerado o maior fornecedor de armas e drogas fora do Brasil desde a prisão de Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar.

Macaque in the trees
Marcelo Piloto (Foto: Divulgação/Polícia do Paraguai)

O criminoso foi preso em dezembro de 2017, no Paraguai, e teve sua extradição autorizada no dia 30 de setembro. No último sábado (17), tentando evitar a extradição, o traficante assassinou uma jovem dentro de sua cela, em uma visita íntima, no Agrupamento Especializado em Assunção. O assassinato da jovem Lidia Meza Burgos foi "uma atitude extrema de Piloto para impedir a extradição", de acordo com o promotor Hugo Volpe.

A vítima ficou 40 minutos na cela do traficante e morreu após levar 16 facadas. Ela era prostitura e fazia sua segunda visita ao criminoso. Pela lei, ele só poderia ser entregue ao Brasil após a conclusão dos processos aos quais responde. Mas, mesmo com o assassinato, o Paraguai decidiu prosseguir com a extradição. No Twitter, o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, disse que "decidiu extraditar Marcelo Pinheiro para que nosso país não seja terra de impunidade para ninguém".