Jornal do Brasil

Internacional

Em 3º dia de protesto, manifestantes exigem falar com Macron

Aumento no preço dos combustíveis gerou ira na França

Jornal do Brasil

A França entra hoje (19) no terceiro dia de protestos dos "coletes amarelos" (gilet jaunes, em francês). Dessa vez, os organizadores do ato bloquearam centros de distribuição e depósitos de carburantes como forma de pressionar o governo a "um gesto" de negociação, como uma reunião no Palácio do Eliseu.

No sábado, mais de 280 mil pessoas saíram às ruas para protestar contra o aumento do preço de combustíveis. O diesel, que é o combustível mais usado pelos franceses, aumentou 23% em 12 meses. A manifestação, no entanto, virou um estopim do descontentamento pelas políticas econômicas do presidente Emmanuel Macron.

 

"Pedimos ao presidente Macron de considerar nos receber, porque somos muitos, de todas as áreas da população.Queremos ser recebidos no Eliseu. É necessário discutir, pois não bloqueamos estupidamente todo o país sem motivo. O diálogo deve começar", disse Nella Loira, uma das organizadoras do protesto.