UE alerta para chance de fronteira dura entre Irlandas após transição do Brexit

O principal negociador da União Europeia para o Brexit, Michel Barnier, afirmou nesta quinta-feira que o acordo preliminar firmado com o Reino Unido envolve um período de transição de 21 meses contados após 29 de março de 2019, no qual são esperadas conversas para um pacto de livre-comércio entre os dois lados. De acordo com Barnier, esse período pode ser estendido se houver um consenso entre as duas partes. No entanto, de acordo com ele, pode haver um cenário de "fronteira dura" entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda caso um acordo não seja firmado entre as duas partes durante a transição.

Em entrevista coletiva dada em Bruxelas após a primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciar o apoio de seu gabinete ao pacto, Barnier pontuou que o acordo garante que a Irlanda do Norte terá acesso irrestrito ao mercado do Reino Unido, depois de os negociadores britânicos e europeus chegarem a uma solução conjunta para evitar uma fronteira "dura" entre os dois países.

"Encontramos uma solução para evitar uma fronteira dura na ilha da Irlanda. A Irlanda do Norte permaneceria no mesmo território aduaneiro que o restante do Reino Unido, mas não permaneceria alinhada a alguns regulamentos da UE para evitar uma fronteira difícil", comentou Barnier. "Nós respeitamos a integridade constitucional do Reino Unido. O 'backstop' não deve ser usado. O objetivo é chegar a um novo acordo entre UE e Reino Unido antes do fim da transição", afirmou o diplomata da UE durante a coletiva de imprensa.

Barnier apontou, também, que o pacto assegura que as empresas da União Europeia e do Reino Unido irão competir em igualdade de condições. Além disso, ele indicou que a existência de uma zona aduaneira entre os dois lados indica que não haverá a implementação de tarifas comerciais entre eles. Para ele, o acordo preliminar do Brexit foi um "passo crucial" dado tanto pelo bloco europeu quanto pelo Reino Unido, tendo em vista que, na visão de Barnier, o pacto firmado nos termos de saída do país da UE "foi importante para que possamos ter um Brexit organizado".