UE propõe liberar britânicos da necessidade de visto após Brexit

A Comissão Europeia propôs nesta terça-feira (13) eximir de visto os cidadãos britânicos que quiserem viajar ao bloco após o Brexit para estadas curtas, desde que o Reino Unido adote a mesma medida para todos os cidadãos europeus.

"A mensagem fundamental aqui é que faremos o que você fizer aos demais", disse em coletiva de imprensa o vice-presidente da Comissão, Frans Timmermans, ao apresentar esta proposta e os planos de contingência da UE, em caso de um divórcio com o Reino Unido sem acordo.

A proposta, que deve ser aprovada pelo Parlamento europeu e pelos países da UE, implica que os britânicos não precisariam de visto para viajar ao espaço de livre-circulação europeu Schengen para estadas curtas de até 90 dias, em um período de 180 dias.

Londres "declarou sua intenção de não exigir um visto aos cidadãos dos outros 27 países da UE para estadas de curta duração para fins de turismo e negócios", lembra o Executivo comunitário.

Bruxelas adianta que a isenção se aplicaria a partir do Brexit, no próximo 29 de março, se não houver um acordo e, após um período de transição, no caso de que o Reino Unido e a UE consigam finalmente um divórcio acertado.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse na véspera que a negociação do Brexit, que continua bloqueada em como evitar uma fronteira clássica para os bens da ilha da Irlanda, está na reta final.

À medida que se aproxima da data do divórcio, tanto europeus como britânicos se preparam também para um cenário de falta de acordo.

A Comissão Europeia publicou nesta terça uma lista de medidas que devem ser tomadas de forma urgente se esse cenário aparecer como "provável", em áreas como serviços financeiros, transporte aéreo, aduanas e transferência de dados pessoais.

 

tjc/mb/ll/tt