Jornal do Brasil

Internacional

França alega 'confusão' após tuíte incendiário de Trump

Jornal do Brasil

"O Exército europeu" proposto por Emmanuel Macron não tem como objetivo se proteger dos Estados Unidos - declarou a Presidência francesa, que alegou uma "confusão" na interpretação das declarações do presidente francês e que provocaram uma forte reação de Donald Trump.

As declarações de Macron na terça-feira, em uma entrevista com a rádio Europe 1, na qual defendeu a criação de um "verdadeiro Exército europeu", foram seguidas de um tuíte incendiário de Trump na sexta-feira (9), quando aterrissou em Paris. Nele, considerou "insultante" a Europa querer se proteger dos Estados Unidos.

Na entrevista, Macron se referiu sucessivamente a vários temas: as ameaças de intrusão no ciberespaço para a Europa e a retirada dos Estados Unidos do Tratado de Mísseis de Médio e Curto Alcance (INF, na sigla em inglês), concluído durante a Guerra Fria.

"Entendo que a sucessão de temas na entrevista tenha podido provocar uma confusão, mas se trata de dois temas distintos: o tratado INF e o tema de uma força de defesa europeia", disse a Presidência francesa à imprensa.

Macron "nunca disse que se teria que criar um Exército europeu contra os Estados Unidos", acrescentou.

Na medida em que a retirada do tratado INF "se refere à segurança da Europa, é necessário que a Europa esteja associada às conversas sobre este tema", acrescentou a mesma fonte.

"Certamente falaremos (sobre esta questão) esta manhã", disse a Presidência, no momento em que Trump chegava ao Palácio Eliseu, sede da Presidência francesa, para se reunir com Macron.

Na terça, Macron havia dito: "Estamos sendo abalados por tentativas de intrusão no ciberespaço e intervenções exteriores em nossa democracia, de vários. Devemos nos proteger frente à China, Rússia e até Estados Unidos".

E acrescentou: "Quando vejo o presidente Trump anunciar, há umas semanas, que sai de um grande tratado de desarmamento, que foi firmado - gostaria de lembrá-los - depois da crise dos euromísseis que tomou a Europa nos anos 1980... Quem é a principal vítima? Europa e sua segurança".

 

mw-leb/meb/ra/tt