Jornal do Brasil

Internacional

Duas democratas serão primeiras indígenas no Congresso dos EUA

Membro da tribo Pueblo Laguna, Haaland é uma conhecida ativista comunitária

Jornal do Brasil

As democratas Sharice Davids e Deb Haaland se tornaram, nesta terça-feira, as primeiras mulheres indígenas americanas eleitas para o Congresso em Washington.

Sharice, de 38 anos, advogada, ex-lutadora de artes marciais mistas e homossexual assumida, derrotou o atual representante republicano Kevin Yoder no estado tradicionalmente conservador do Kansas. Ela foi criada por uma mãe solteira e veterana do Exército.

Macaque in the trees
Deb Haaland (Foto: Mark RALSTON / AFP)

Deb, de 57, que é do Novo México, derrotou a republicana Janice Arnold-Jones e Lloyd Princeton, do Partido Libertário.

Membro da tribo Pueblo Laguna, Haaland é uma conhecida ativista comunitária em seu distrito claramente democrata. Ela luta para promover o voto entre a população indígena, que representa 2% dos americanos.

"Precisamos de gente real que fale dos nossos assuntos e saiba o que significam", disse Haaland à AFP em uma entrevista antes das eleições.

"Temos pessoas agora no Congresso que não sabem o que significa não ter comida, ou uma cobertura de saúde adequada", afirmou.

As duas mulheres fazem parte de um número recorde de indígenas americanas a se candidatarem às eleições de meio de mandato para disputar vagas no Congresso, governos estaduais, legislaturas locais e outras posições.

Davids e Haaland também estão entre os democratas que conseguiram virar cadeiras a favor de seu partido na Câmara de Representantes, recuperando o controle das mãos republicanas.

bur-sst-jz/wd/lda/tt



Recomendadas para você