Jornal do Brasil

Internacional

Meghan Markle defende em Fiji a educação das mulheres

Jornal do Brasil

Meghan Markle, esposa do príncipe Harry, defendeu nesta quarta-feira em Fiji o direito à educação das mulheres, em seu primeiro discurso durante a viagem do casal pela Oceania.

A ex-atriz da série americana "Suits" discursou na Universidade do Pacífico Sul em Fiji e pediu mais acesso ao ensino superior para as mulheres.

"Para mulheres e meninas nos países em desenvolvimento, isto é vital. Oferecer acesso à educação é a chave para o desenvolvimento econômico e social", afirmou a duquesa de Sussex, nascida em Los Angeles.

"Quando as meninas recebem as ferramentas certas para ter sucesso, elas podem criar futuros incríveis, não apenas para elas, mas para todos que as cercam", completou.

Meghan, 37 anos, que está grávida, obteve um diploma de Comunicação na Northwestern University de Chicago.

Ela anunciou a criação de duas bolsas para estimular o progresso das mulheres nas universidades do Pacífico, explicando que o ensino superior foi para ela "incrível, impactante e fundam,ental", mas que pagar pelos estudos foi um desafio.

"Foi por meio de bolsas, programas de ajuda financeira e programas de trabalho-estudo - pelos quais meu salário por um emprego no campus seguia direto para pagar minha matrícula - que eu consegui continuar na universidade", recordou.

"E, sem dúvida, valeu a pena", completou, ao lado do marido, que não conheceu as mesmas dificuldades no colégio de elite Eton ou na prestigiosa academia militar de Sandhurst.

O príncipe Harry anunciou quatro bolsas para financiar as pesquisas sobre as mudanças climáticas.

"Vocês que vivem aqui enfrentam esta ameaça em sua vida diária. Vocês estão realmente convivem coma as mudanças nos padrões climáticos, ciclones ferozes e o aumento do nível do mar, particularmente em Tuvalu e Kiribati". disse.

 

ns/arb/jac/mf/pa/zm/fp



Recomendadas para você