Jornal do Brasil

Internacional

Após quase 2 meses, governo define comissário para Gênova

Marco Bucci administrará ações para reconstrução de ponte

Jornal do Brasil

Após quase dois meses do desabamento da Ponte Morandi, em Gênova, o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, anunciou nesta quinta-feira (4) o nome do comissário que comandará as iniciativas do governo nacional em resposta à tragédia.

 

O interventor será o próprio prefeito da capital da Ligúria, Marco Bucci, excluindo a hipótese de se enviar alguém de Roma para coordenar as ações. "Quando retornar a Roma, assinarei o decreto que nomeará o comissário extraordinário na figura do prefeito de Gênova, Marco Bucci", declarou Conte, durante visita a Assis.

 

Tanto Bucci quanto o governador da Ligúria, Giovanni Toti, cobravam do governo a indicação de alguém da região como comissário. O prefeito terá mandato de um ano, prorrogável por até mais três, e administrará as ações previstas pelo chamado "Decreto Gênova", que contém as iniciativas do governo para responder à tragédia.

 

Entre outras coisas, o texto prevê 20 milhões de euros para a reconstrução da ponte, que não será feita pela concessionária Autostrade per l'Italia - a qual o governo culpa pelo desabamento -, e a criação de uma nova agência nacional de vigilância do sistema rodoviário e ferroviário.

 

Ainda assim, a empresa deverá arcar com o restante do montante necessário para a obra, avaliada em cerca de 360 milhões de euros. A queda da Ponte Morandi ocorreu em 14 de agosto de 2018 e deixou 43 pessoas mortas. A suspeita é de falha estrutural.



Tags: Gênova

Recomendadas para você