Jornal do Brasil

Internacional

Chanceler britânico compara a UE à União Soviética

Jornal do Brasil

O ministro das Relações Exteriores da Grã-Bretanha, Jeremy Hunt, foi muito criticado por comparar a União Europeia (UE) com a União Soviética em um discurso durante o congresso do Partido Conservador no domingo.

Hunt acusou a UE de querer "castigar" o Reino Unido por ter decidido sair do bloco e estabeleceu um paralelo com a União Soviética, que tentava impedir a saída de seus cidadãos.

Em seu discurso, Hunt citou uma visita que fez à Letônia, que se tornou uma "democracia moderna, membro da Otan e da UE" após sua independência.

"O que aconteceu com a confiança e os ideais de sonho europeu? A UE estava destinada a proteger a liberdade. Era a União Soviética que impedia a saída das pessoas", disse.

"Se transformam o clube europeu em prisão, o desejo de fugir não vai diminuir e sim aumentar. Não seremos o único prisioneiro a tentar fugir", insistiu.

Após o discurso, Peter Ricketts, secretário permanente do Foreign Office entre 2006 e 2010, a função de maior responsabilidade no ministério, reagiu no Twitter e chamou as declarações de "sandices indignas de um ministro britânico das Relações Exteriores".

"Independente de sua opinião sobre o Brexit é um erro de julgamento deplorável para um ministro britânico das Relações Exteriores comparar a União Europeia à União Soviética", escreveu também no Twitter o sucessor de Ricketts, Simon Fraser, que também já deixou o cargo.

A Grã-Bretanha deve deixar a UE em março de 2019, mas a apenas seis meses do divórcio as negociações não avançam.

A embaixadora da Letônia em Londres respondeu no Twitter que "a União Europeia levou prosperidade, igualdade, crescimento e respeito" a seu país, enquanto os soviéticos "destruíram as vidas de três gerações".

Hunt, considerado um possível sucessor de Theresa May como chefe de Governo, criticou nesta segunda-feira em uma entrevista ao jornal The Telegraph o presidente francês Emmanuel Macron, que alfinetou aqueles que prometeram maravilhas durante a campanha do referendo sobre o Brexit em 2016 e os chamou de "mentirosos".

"Se o presidente Macron pensa que vamos voltar de joelhos buscando desesperadamente retornar ao clube em alguns anos, nos conhece mal", disse Hunt.

bur-rjm/dt/pa/pc/fp



Recomendadas para você