Jornal do Brasil

Internacional

Papa convoca mês de orações contra 'divisões' na Igreja

Jornal do Brasil

O papa Francisco convidou fiéis do mundo todo a realizarem um mês de orações em outubro contra as "divisões" na Igreja Católica.
O convite chega em meio aos ataques contra o Pontífice por parte do arcebispo italiano Carlo Maria Viganò, expoente das alas conservadoras do clero e que acusa Jorge Bergoglio de ter acobertado casos de abuso sexual.
"O Santo Padre decidiu convidar todos os fiéis, de todo o mundo, a rezar o Santo Rosário todos os dias, durante todo o mês mariano de outubro; e a se unir em comunhão e penitência, como povo de Deus, ao pedir à Santa Mãe de Deus e a São Miguel Arcanjo que protejam a Igreja do diabo, que sempre busca nos dividir de Deus e entre nós", diz um comunicado da Santa Sé.
O apelo de Francisco será difundido por dioceses de todo o planeta. "A oração é a arma contra o grande acusador, que gira pelo mundo buscando formas de acusar", acrescenta o comunicado, citando palavras proferidas pelo Papa em uma homilia de 11 de setembro.
"Com esse pedido de intercessão, o Santo Padre pede aos fiéis de todo o mundo que rezem para que a Santa Mãe de Deus coloque a Igreja sob seu manto protetor: para preservá-la dos ataques do maligno, o grande acusador, e torná-la, ao mesmo tempo, cada vez mais ciente das culpas, dos erros e dos abusos cometidos no presente e no passado", ressalta o comunicado.
Bergoglio foi acusado por Viganò de ter ignorado denúncias de abusos contra seminaristas adultos cometidos pelo ex-cardeal norte-americano Theodore McCarrick, removido do colégio cardinalício apenas em julho passado, após também ter sido acusado de pedofilia.
O dossiê de Viganò chega em meio a uma crescente resistência das alas conservadoras do clero contra a postura progressista de Francisco, já acusado até de "heresia" por defender a abertura da Igreja a divorciados e homossexuais.



Recomendadas para você