Quatro pessoas são condenadas por recrutarem combatentes para EI no Facebook

Quatro pessoas foram condenadas na Espanha a penas de quatro a sete anos de prisão por recrutar em especial jovens muçulmanas através do Facebook para o grupo Estado Islâmico, segundo a decisão judicial publicada nesta quarta-feira.

Tratam-se de dois marroquinos de 23 e 26 anos, uma espanhola de 22 anos e um português de 33 anos, detidos em outubro de 2015.

A Audiência Nacional, que julga em particular casos de terrorismo, os declarou culpados pelo doutrinamento terrorista, em uma decisão fechada nesta terça-feira.

A marroquina de 26 anos foi condenada a sete anos de prisão enquanto o português de 33 anos, residente em Paris, que se casaria com ela, a quatro.

O grupo utilizava o Facebook para os primeiros contatos, "principalmente jovens mulheres muçulmanas".

"Uma vez iniciados os contatos, se passava, em um segundo momento, para o uso do Whatsapp, onde os contatos continuavam, incluindo-se o sujeito objeto de captação aos distintos grupos que tinham abertos no aplicativo e cuja capacidade máxima era de 100 usuários", acrescentou.

A rede conseguiu convencer ao menos uma jovem marroquina a viajar à Síria, mas ela foi detida antes de deixar a Espanha e depois condenada a cinco anos de prisão por cooperação com uma organização terrorista.

Nos dias 17 e 18 de agosto de 2017, dois atentados reivindicados pelo EI deixaram 16 mortos na Catalunha (nordeste).

ds/lbx/mg/eg/bc/cc/ll